Home » Datas Comemorativas

‘O Vasco, que impediu o racismo no futebol, saúda o Dia da Consciência Negra’

No Dia da Consciência Negra, é sempre bom lembrar que o Club de Regatas Vasco da Gama foi o clube que mais lutou contra a discriminação racial no esporte brasileiro.

20071104consciencianegra
Faixa sob o placar eletrônico de São Januário em 2007

Fonte: NETVASCO (texto), Site oficial do Vasco (foto)

13 Comentários »

  1. Augusto Aristides de Ataide
    20/11/2013 20h00

    Foi o CLUB de REGATAS VASCO da GAMA, o pioneiro a aceitar negros,operários e trabalhadores, no seu ” Scret” e no seu time e, com isso abriu as portas para jogadores negros e nos orgulhamos da sua origem humilde e popular e por essa causa somos perseguidos e discriminados por essa mídia elitista! Somos sim protagonista históricos e parte desse dia pela sua luta e o reconhecimento ao dia da Consciência Negra!

  2. RONI REIS
    20/11/2013 20h26

    Boa noite vascaínos,

    Mais uma vez na data comemorativa de 20/11, dia da Consciência Negra, leio matérias pela internet onde destacam que Bangu e Ponte Preta “disputam” entre si o título de “primeiro clube no país a aceitar negros”.

    Matéria que pode ser consultada no link: http://trivela.uol.com.br/brasil/como-futebol-e-sociedade-se-uniram-na-abertura-aos-negros-no-brasil

    Cresci ouvindo sempre que foi o nosso Vasco.

    No texto do link citado informam que o Vasco foi “o maior expoente dessa integração” por causa do título do Campeonato Carioca de 1923 por ter sido conquistado por um time de negros, operários e suburbanos, como escrevem.

    O Vasco não foi o pioneiro? Alguém poderia esclarecer?

    Saudações vascaínas!

    Pensamento positivo: O Vasco não cai!

    Roni Reis
    ______
    Olá Roni Reis,

    Ocorre o seguinte:

    o Vasco foi o primeiro clube a enfrentar o preconceito social e racial, integrados. Se um ou outro atleta de outra equipe foi aceito, o foi em circunstâncias específicas.

    O Vasco teve um presidente mulato no início do século XX, já no Remo pouco se importava com o status social de seus atletas, no que tangenciava a pô-los em seus quadros para competir, no primeiro time formado em 1916 havia dois mulatos e as equipes formadas, desde a segunda divisão até a primeira, apresentavam negros, pobres e analfabetos.

    O Bangu pode se envergonhar de no ano de 1924 ter se unido a Flamengo, Fluminense, Botafogo e América, racistas na essência, no sentido de aceitar a legislação da AMEA, liga criada aquele ano para se contrapor à oficial, LMDT. Ele, Bangu, mesmo sabedor que o regulamento da nova entidade excluía na prática os atletas negros, diante de tantas exigências feitas para considerá-los aptos a ingressar nos quadros que integravam tal liga, ficou do lado da liga e não do Vasco, que por sua vez estava do lado correto, conforme a história deixaria escrito.

    A questão não é colocar um negro para jogar futebol numa condição específica, mas sim aceitar qualquer negro, independentemente das circunstâncias (status social, riquezas, estudos), nos seus quadros, brigar pela permanência deles e comprovar que o futebol é um esporte para todos e não para determinadas classes ou grupos oligárquicos. E o futebol brasileiro deve ao Vasco a mudança de conceito, mesmo que para isso o clube tivesse experimentado toda a perseguição sofrida por anos e anos e que marcaria a senda do nosso clube por décadas a fio.

    O Vasco jamais será aceito com a grandeza e a importância que possui. Terá que impor-se, sempre, e ser aceito sim, por tal imposição e demonstração de sua força.

    Acovardado, medroso, cabisbaixo e resignado, será o retrato desta gestão e desta concepção de Vasco, longe, mas muito longe daquilo que o clube representa historicamente para o futebol brasileiro e para o povo brasileiro (eu disse povo, não elite).

    Abraço,

    Sérgio Frias

  3. João Pires
    20/11/2013 21h35

    Velhos tempos. Hoje a faixa seria: O Vasco que um dia foi popular, está cagando mole para qualquer coisa do povo.

  4. Márcio Rezende
    20/11/2013 21h50

    hoje é dia de clube com origem racista levar uma porrada histórica que acarretará num vice campeonato da copa do brasil…..

    que assim seja, amém!!!!!

  5. Hilton Charles
    20/11/2013 22h31

    O Vasco é o clube que acabou com o preconceito.

    Sérgio Frias, você foi muito, muito feliz quando escreveu isso:

    “O Vasco jamais será aceito com a grandeza e a importância que possui. Terá que impor-se, sempre, e ser aceito sim, por tal imposição e demonstração de sua força.”

    Perfeito.

  6. Carlos Henrique S.
    21/11/2013 0h13

    E vale ressaltar de que entre todas as nações européias, Portugal se mostrou ser o menos racista. Graças à Portugal, temos uma neurose racial menor do que a dos EUA. O Vasco representa bem, e há cem anos mostrava mais tolerância do que outros clubes do Rio de Jnaeiro, que não aceitavam negros em seus quadros de sócios.

  7. Marcelo Gomes dos Santos
    21/11/2013 3h42

    A Carta Resposta de “07 de abril de 1924″:

    - É ORGULHO EXCLUSIVO DO C.R.VASCO DA GAMA.

    - É O MELHOR TROFÉU DO ESPORTE MUNDIAL.

    - É A HISTÓRIA MAIS BONITA DO ESPORTE MUNDIAL.

    * BRASILEIRO, NEGRO OU POBRE, TORCER POR BOTAFOGO, BANGU, AMÉRICA, FLUMINENSE, FLAMENGO, SERIA O MESMO QUE UM JUDEU TORCER PELO “FASCISMO FUTEBOL CLUBE”.

  8. Paulo Senior
    21/11/2013 8h54

    Sinceramente, um irmão ou amigo negro que não seja vascaíno é lastimável. No Rio, ser Flamengo, Botafogo ou Fluminense só nos envergonharia. Ser Vasco é sobretudo, gratidão.

  9. marcos lapenda
    21/11/2013 10h23

    Tenho uma tese que defendo tanto como a do Vasco da Gama ser um time da preferência negra.A violência nos campos de futebol vem do inconformismo que todas as torcidas do Brasil, exceto as do Flamengo-principalmente- e corinthians têm com o excesso planejado de regalias que a imprensa concede aos queridinhos.Na televisão só se fala do tal mengo.Em São Paulo só dá corinthians.Isso tem anos!A fábrica de torcedores desses dois times ffunciona vinte e quatro horas, seja no noticiário esportivo seja nas famosas novelas.Uma criança que nasce, o artista da novela pergunta logo:”Já compraram a camisa do flamengo do menino?É assim.Começou com Ari Barroso na tupi ou na tv Rio nos anos cinquenta.Nos sessenta a time life ocupou o mercado de mídia, com ajuda claro dos militares do poder e vê-se com clareza meridiana que as elites da gávea dominam políticos e imprensa.Inclusive jornalistas.A ordem é simples:não queremos o vasco no cenário do Rio e nacional

    Quando consigo tomar um chopp em ipanema, pergunto aos times da zoana sul, por que o madureira, olaria, bonsucesso, portuguesa e times da baixada não têm torcida?Ora, é porque quem manda na vontade do torcedor é o rico da zona sul.São os donos das concessões públicas de rádio e televisão.

    O Vasco tem torcida porque ela começou nos morros e favelas.Escravos,claro, negros,soldados da campanha do Acre e de Canudos, junto com os portugueses interagidos no amor necessário e possível com negras e mulatas.Foi a resposta ao preconceito e discriminação que negros e portugueses sofriam nas salas do Sacre coeur e colégios perfumadas à partir da praça Mauá.Dalí em diante era proibido negro e portruguês passar.Com o surgimento de Hitler a ciência da propaganda enganosa passou a distorcer a história ‘e fazer prevalecer a mentira e a indução dos tais inocentes úteis.Na verdade todos somos inocentes úteis na indumentária que diz: ser flamengo é está no poder.Meu Deus!

    Confesso que, com mais de sessenta anos sinto vontade de botar pra fora o meu horror social que tenho a este tal de flamengo.Digo horror social, pois que esportivo devemos respeitar todos os adversários.
    Esse time representa as elites.Joga contra o povo. Não deixa o povo crescer. É como se Nero redivivo estivesse, com aquela necessidade de ter o povo nas maõs.E a violência vem das outras torcidas, justificadamente revoltadas com a desvalorização dos seus sentimentos.E aí, a porrada come.

    temos um presidente cafona e pusilânime como já disse anteriormente.Ele foi colocado na presidência por que? Vocês sabem?Claro que não foi o MUV.Claro que não foi a torcida.Foi a Gávea.E foi a…Chega!!!

  10. Alexandre Machado
    21/11/2013 10h35

    Sérgio Frias,

    Brilhante a sua explanação ao Sr. Roni Reis.
    Mais uma vez, um grande abraço. Estamos juntos na luta para retomar o Vasco aos trilhos com a Locomotiva Eurico Miranda!

  11. Attila Neto
    21/11/2013 11h04

    Somos pioneiros em tudo.

  12. Eduardo DF
    21/11/2013 22h33

    Pioneirismo: TEU NOME É VASCO!

  13. Paulo Fernandes
    24/11/2013 9h10

    Caso Dedé: O Zandonaide faria o mesmo!

Comente »

Deixe seu comentário abaixo, ou trackback do seu próprio site. Você também pode acompanhar os comentários via RSS.

Seja educado. Evite palavrões. Mantenha-se no tópico. Sem spam.